Bloc Party, “Intimacy”

Lançado sem aviso prévio, “Intimacy”, o terceiro álbum dos ingleses Bloc Party não destoa quanto ao que eles têm habituado os seus fãs – não relativamente ao som, mas sim em relação à constante procura e exploração de novas sonoridades.

Se em 2005 com “Silent Alarm” eles eram mais uma das bandas que estavam a surgir nessa altura nas ilha britânicas (embora com qualidade acima da média, na minha opinião), quando lançaram “A Weekend in the City”, os Bloc Party mostraram que não estavam nisto para serem mais uns. As fórmulas do sucesso ficaram na gaveta e decidiram apostar em novas melodias (mais calmas), dar um novo uso à voz de Kele Okereke, afastando-os assim um pouco do indie rock que os deu a conhecer ao mundo, mas mantendo ainda assim uma certa identidade.

Ao terceiro disco, os Bloc Party, não descartam o trabalho feito anteriormente, mas acrescentam-lhe batidas fortes, vozes distorcidas e colam-se à nu-rave com bons resultados. Apesar de “Intimacy” estar saudavelmente divido em canções mais calmas e outras mais fortes, este é provavelmente o álbum mais dançável dos ingleses. Ares, a primeira música deste disco e uma das minhas preferidas, mostra logo que vão decididamente seguir o caminho começado em Flux e no single de avanço desde disco, Mercury.

É um bom terceiro álbum desta banda, com boas canções como é Signs, ou com casos como a Zephyrus a destacar-se pelos coros e a confirmar a versatilidade dos Bloc Party.

FPL 9000
Anúncios

~ por FPL 9000 em 221008.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: