O incompetente, o assim-assim e a Kimya Dawson que ficou a perder por tudo o que se passou

Sou capaz de ter visto ontem, o meu pior concerto de sempre – esteve a cargo de um tal Karl Blau, que veio a Portugal fazer, com outro também para mim desconhecido, Angelo Spencer, a primeira parte de Kimya Dawson no Teatro da Luz, em Lisboa.

Karl Blau entrou em palco, não para lá tocar, mas para ter acesso às escadas onde se instalou e a partir de onde fez o seu espectáculo. Veio com uma guitarra eléctrica, e o belo fio de 2 ou 3 metros para a ligar. O microfone deve ter ficado em casa, mas também não foi por aí que aquilo foi mau. O pior adivinhava-se quando ele começou a tocar guitarra sem esta estar ligada. Foi esquecimento? Não, é mesmo assim. Maravilha, além ter soado quase sempre pessimamente, muitas vezes mal se ouvia. Depois o Blau pensava que estava no circo e achava muita piada aos seus enganos e incompetência. Achou que estava lá para fazer rir o público durante todo o tempo que esteve nas escadas, e música minimamente aceitável, nem vê-la (ou ouvi-la). Uma palhaçada. O mais grave é que o deixaram tocar perto de 40 minutos.

Seguiu-se o francês radicado nos EUA, Angelo Spencer. Ao estilo de one-man-band, lá fez o seu espectáculo de guitarra e bateria – as músicas não eram nada do outro mundo, mas depois do que se tinha assistido antes, qualquer coisa parecia boa.

Já passava das 23:30 quando Kimya Dawson finalmente surgiu em palco. Não sou grande fã dela, mas lá lhe acho alguma graça. O concerto foi como esperava – simples, algo infantil e repetitivo. Cumpriu o seu dever, e gostei.

Se calhar não saí com ainda melhor ideia do concerto dela, por tudo o que tinha acontecido antes: os concertos terem começado com 1 hora de atraso, os 2 músicos encarregues da primeira parte estarem (muito) longe do aceitável e terem tocado demasiado tempo. E é lógico que ninguém está à espera de sair de um concerto destes depois da 1:00, quando este estava marcado para as 21:00. Imagino que tenha sido essa a razão que tenha feito muita gente abandonar a sala antes do fim do concerto…

FPL 9000
Anúncios

~ por FPL 9000 em 250509.

10 Respostas to “O incompetente, o assim-assim e a Kimya Dawson que ficou a perder por tudo o que se passou”

  1. Lamento que tenhas ficado num mau lugar da sala, digo-te, a minha percepção da 2a fila foi completamente diferente.

  2. tenho pena que existam pessoas como tu pouco abertas a este tipo de música e à postura de músicos como estes, que tivemos oportunidade de ver e ouvir, em palco.
    meu amigo, as palavras “incompetência” e “palhaçada” são extremamente desapropriadas. devias avaliar melhor o que pensas antes de nos dares a tua opinião por escrito. no que diz respeito aos “enganos”, o sr. blau estava ali a assumi-los, sem vergonhas. ele quer lá saber, é a cena dele. acho que ele esteve muito bem, mesmo com a guitarra desafinada. não conhecia, ganhou um fã. e pela reacção das pessoas em geral, ganhou muitos mais.
    em relação à kimya dawson, ninguém abandonou a sala antes do fim do concerto, muita gente saiu (o que achei uma falta de respeito) e voltava a entrar. houve quem abandonasse a sala antes do encore, o que é outra coisa. mas isso, penso eu, é devido à ignorância das pessoas sobre o que é um encore. e achei o conjunto deste três músicos de uma coerência optima. não foi nada aborrecido e tiveram todos um bom tempo qb de set. embora sendo do mesmo universo, são diferentes entre si e conjugam-se muito bem dentro do mesmo espectáculo.
    também lamento que tenhas ficado num mau lugar.

  3. @TheDruid: Sim, fiquei lá para trás e acredito que lá para a frente tenha sido um pouco melhor. De qualquer forma, acho que ele deve tocar para a sala toda e não para as primeiras filas. E quanto à guitarra eléctrica desligada, aquilo não me parece fazer sentido de maneira nenhuma.

  4. @Anónimo: Eu vou aos mais variados tipos de concertos regularmente, portanto não é bem por aí. Já vi coisas do género que me agradaram, e também já vi muitos concertos fora dos meus gostos habituais que me agradaram também – não é por ser “fechado” que não gostei, porque não o sou. Quanto ao Blau, acho que tu próprio admitiste as várias falhas que eu apontei, e se elas de facto existiram não vejo porque seja tão estranho eu não ter gostado. Se um artista vai actuar deve-se preparar minimamente, e tal como já disse no post e no outro comentário – porque é que ele não usou uma guitarra normal, ou não ligou aquela? Não soaria mil vezes melhor? E como tu também viste, aquele concerto “viveu” do fazer rir as pessoas, e da interacção com o público, e não de música propriamente dita – que foi o que fui lá fazer.
    Quanto à Kimya Dawson, é bem possível que não tenhas visto porque estavas mais à frente, mas eu como estava mais para trás, vi saíram (definitivamente) várias pessoas a meio do concerto (e quanto a isto, não a estou de forma alguma a culpá-la, mas sim a organização).

  5. Ainda bem que passei esse, então. SJá não tenho muita paciência para a Kimya Dawson, mas se os outros ainda eram piores…
    Valham-nos os Handsome Furs :)

  6. Se também não és grande fã dela, acho que fizeste bem. Sim, esse foi fantástico. :)

  7. Estava a ver que tinha sido a única a achar aqueles dois cromos os maiores idiotas de sempre (e qual não foi a minha estupefacção ao ver que o público vibrava com aquilo) e a organização uma grande trampa! Mas gostei da vozinha e das letras dela: digamos que foi diferente.

  8. Pois, a reacção da generalidade do público também me fez confusão. É exactamente isso que gosto nela, as letras e simplicidade do que ela faz (porque depois musicalmente aquilo vai sempre dar um bocado ao mesmo).

  9. Estou a ver que foi uma grande noite. É curioso como a mesma coisa tem impactos tão distintos nas pessoas.

    Eu não sou adepto do “é fixe porque é diferente”, “tava na cena dele” e coisas do género. Não gosto, pronto. Esse tipo de atitudes permitem-se a dinossauros, não a qualquer um. Quero dizer: se o Dylan passar um concerto a dar umas bufas ao micro, por mim tudo bem, tem o direito de fazer a cena dele. Mas acho que não ia gostar de lá estar :).

  10. Há quem possa e quem não possa fazer certas coisas, isso é verdade. Ele a continuar assim nunca poderá. :|

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: